Frete Internacional: O que é e como funciona?

Você sabe como funciona o frete internacional, quais são os 4 tipos e modalidades, principais custos, além das vantagens e desvantagens de cada tipo de modal para comércio exterior?

Ao fazer compras internacionais online devemos saber escolher o frete certo para economizar e ter mais segurança. Na hora de optar pelo frete internacional ideal para a sua compra no exterior, alguns prejuízos podem ser evitados.
para
Aprenda agora tudo o que precisa saber sobre o assunto e como escolher o método de envio para suas encomendas internacionais que muitos importadores profissionais utilizam.

O que é frete internacional?

frete internacional comércio exterior
Fonte: Pinterest

O frete internacional (ou transporte internacional) é o deslocamento entre dois países regido por um contrato internacionalmente aceito entre as partes contratantes.

Trata-se de um conjunto de regras e padrões internacionais que explicita as responsabilidades do comprador e do vendedor no processo de exportação e importação, como quem é responsável pelo frete, quem deve arcar com o seguro, entre outros fatores.

Como escolher escolher o frete internacional ideal para cada tipo de encomenda vinda do exterior?

Para a escolha da modalidade adequada para o frete internacional, alguns fatores devem ser analisados, tais como:

  • pontos de embarque e desembarque,
  • urgência na entrega,
  • peso da carga,
  • disponibilidade,
  • custo do serviço
  • e frequência.

Uma questão muito importante quando falamos de compras internacionais online, saber escolher o frete certo para cada tipo de encomenda é essencial para a segurança e economia de suas compras internacionais.

Com tantas informações imprecisas na web a respeito de frete internacional, muita gente se confunde e comete erros na hora de escolher o método de envio para seus volumes/pacotes internacionais. Erros que causam prejuízos e dores de cabeça.

Você vai aprender técnicas que muitos importadores, exportadores e profissionais utilizam, na hora de escolher o frete internacional ideal para cada tipo de encomenda vinda do exterior.

Por onde começar?

Você pode optar por contratar o frete internacional através de uma empresa redirecionada ou diretamente em uma empresa de agenciamento internacional, mas leve sempre em consideração o valor do produto e a urgência na entrega da compra importada / exportada.

Você deve estar se perguntando:

Devo fracionar minhas remessas para fugir da taxação? Ou seja, enviar pacotes pequenos para não serem notados pelos fiscais da Receita Federal.

Essa técnica não funciona mais, pois a RFB está a cada dia se modernizando e taxando praticamente tudo que esteja fora das regras de isenções dos tributos de importação.

Como funciona o frete internacional?

Para entender melhor como funciona, o fluxograma a seguir demonstra detalhadamente o fluxo logístico de uma exportação / importação para entendimento dos custos inseridos no frete internacional:

fluxo logístico frete internacional
Fonte: Livro Logística Internacional do Autor Pierre A. David, 2017

A figura acima demonstra o passo-a-passo para a exportação de uma mercadoria, sendo a atividade logística iniciada na fábrica ou armazém de distribuição da empresa exportadora. A partir da venda as operações logísticas começa com o transporte interno, que pode acontecer através dos modais:

  • aéreo,
  • rodoviário,
  • ferroviário,
  • aquaviário
  • ou dutoviário, também conhecido como transporte interno.

Esse translado é efetuado até uma alfândega, onde serão realizadas todas as etapas do processo de desembaraço aduaneiro para a exportação.

Terminais de armazenagem em zona primária e secundária

Ao término do trâmite do desembaraço, a mercadoria é encaminhada para um terminal de recinto alfandegário portuário de zona primária, onde embarcará para o país de destino, aplicável para os modais aéreo e aquaviário “na condição marítima”, caso o modal internacional seja o rodoviário, dutoviário ou ferroviário a mercadoria seguirá da zona secundária alfandegada diretamente ao país de destino.

Transporte interno

Nesse momento acontece o transporte (frete internacional), de acordo com a escolha do modal disponível, mais recomendável para mercadoria e escolha do exportador ou importador. Ao chegar ao país, o bem é recepcionado em um terminal de recinto alfandegário e encaminhado para a alfândega de escolha do comprador para que seja feita a nacionalização, após essa etapa, se tem o transporte interno que levará a mercadoria até o local de destino.

Tarifas alfandegárias

No local de origem a empresa possui os gastos com embalagem, acondicionamento, expedição. Entre o local de origem até a alfândega existe o gasto com um frete interno, esse transporte pode ser efetuado por diversos modais, os mais comuns são o rodoviário, ferroviário e em alguns casos o dutoviário, o aeroviário não é muito utilizado para pequenas distâncias devido a seu alto valor.

Na alfândega os gastos são com impostos e prestadores de serviços e armazenagem. No momento em que a mercadoria é encaminhada ao terminal aeroportuário / portuário são pagas algumas tarifas, tais como armazenagem, capatazia e taxas aeroportuárias / portuárias.

Na ilustração abaixo, demonstramos a relação entre a atividade logística e os custos logísticos envolvidos em qualquer operação:

frete internacional
Fonte: Livro Gestão de Custos Logísticos, Costa, Maria de Fatima Gameiro de 2005

Você precisa entender e compreender os papeis desempenhados pelos diferentes prestadores de serviços que participam desta cadeia produtiva, sendo eles figuras importantes para suas operações de logística internacional:

  • despachante aduaneiro,
  • armador,
  • agentes de carga,
  • terminais de armazenagem em zona primária e secundária,
  • alfândega,
  • companhias áreas e marítimas,
  • transportadoras.

Você precisa obter conhecimento da legislação que será responsável pela incidência dos impostos nas operações internacionais.

Mas aqui está a grande questão:

  • Identificar os diferentes tipos de carga e prepará-las para o embarque (adequação de embalagens);
  • distinguir as responsabilidades e os riscos logísticos entre vendedor e importador através dos incoterms
  • e estruturar sistema de controle de custos da cadeia logística internacional,

são atividades primordiais para que o produto chegue com integridade ao seu destino, ao menor custo, garantindo a competitividade da empresa e sua participação no mercado internacional.

Quais sãos os tipos de modalidades de frete internacional?

Aquaviário/Hidroviário (marítimo, lacustre, fluvial – (navios)):

Recomendado para cargas pesadas, em grande quantidade, com baixo valor agregado ou para destinos sem acesso terrestre. Esta é a modalidade mais utilizada no transporte / frete internacional.

Ferroviário (trens e locomotivas):

Recomendado para cargas pesadas, em grande quantidade, com baixo valor agregado ou para destinos com malha ferroviária. Modalidade muito utilizada para o transporte de minérios.

Aéreo (avião e aeronaves):

Recomendado para cargas de alto valor agregado, leves e de baixo peso e dimensões ou que precisem chegar ao destino em curto período. Exemplo: joias, amostras etc.

Rodoviário (caminhões e utilitários):

Recomendado para o acesso a países fronteiriços.

Dutoviário (canos e/ou tubos):

Utilizado em granéis sólidos e líquidos.

Vantagens e desvantagens de cada tipo de modal para frete internacional

Existem aspectos relevantes para o desenvolvimento da cadeia logística interna e internacional é conhecer as vantagens e desvantagens de cada modal de transporte e sua forma de contratação, a tabela a seguir apresenta de forma resumida as vantagens e desvantagens dos modais de transporte aeroviário, aquaviário/hidroviário, ferroviário, rodoviário, dutoviário:

vantagens desvantages frete internacional
Fonte: Livro Gestão de Custos Logísticos, Costa, Maria de Fatima Gameiro de 2005

Para a escolha do modal adequado deve-se levar em consideração:

  • primeiramente a disponibilidade do modal na região de origem e de destino,
  • em segundo lugar a urgência ou o tempo requerido para entrega da carga

e só então levar-se-á em consideração a gestão de custos. Sendo assim, a escolha do modal uma das funções relevantes nas operações do comércio exterior.

Com base nesta tabela acima você tem total segurança para escolher o modal transporte adequado para o seu frete internacional.

Quais são os 4 tipos de frete internacional?


Fonte: kinshipagency.wordpress.com

Na aquisição de itens e mercadorias, um dos passos mais importantes é a contratação do frete internacional. Esta é uma questão que impacta diretamente no preço pago na operação e principalmente pelo produto. Por isso, para reduzir custos é necessário entender os tipos de modais de transporte para escolher o frete mais adequado.

Veja a seguir os 4 tipos de frete internacional:

  1. Incoterms

    Os Incoterms® termos internacionais do comércio, que são acordados entre importador e exportador para garantir questões relacionadas à entrega, custo e risco no transporte internacional da carga. Neste sentido, para cada tipo de situação há um tipo de Incoterms® específicos para cada grupo sendo eles composto por 11 termos e 4 grupos:

    • Grupo E (EXW);
    • Grupo F (FCA, FAS e FOB);
    • Grupo C (CPT, CIP, CFR e CIF);
    • e Grupo D (DAP, DPU e DDP).

     

  2. Modais

    Nos modais também existem os fretes que variam de acordo com o transporte escolhido para o deslocamento. O ferroviário (trens e locomotivas), o rodoviário (caminhões e utilitários), o hidroviário (navios), dutoviário (canos e tubos), além de aeroviário (avião e aeronaves).

  3. Frete multimodal

    O frete multimodal tem como base os valores e princípios do modal, uma vez que é a combinação entre duas ou mais modalidades de transporte.

  4. Frete courier

    O frete courier utilizado por empresas de grande porte, o frete courier é uma modalidade de entrega expressa, para o transporte de mercadorias com rapidez superior ao serviço de entregas padrão.

Muitas empresas começam a importar produtos, mas não têm o conhecimento sobre como negociar internacionalmente e acabam passando por diversos transtornos como, por exemplo, encomendas barradas na saída do país ou quando chega no Brasil, como também para saída no Brasil.

Agora, atenção:

Vale ainda lembrar que as regras também podem mudar de acordo com o tipo de mercado que os produtos estão sendo importados, sazonalidade entre outros fatores (climáticos, guerras e pandemias).

Antes de assinar qualquer contrato, você precisa estudar cuidadosamente quais são as normas que regem a negociação internacional, tanto aqui no Brasil quanto no país de quem está exportando. Análise quais são as leis que te protegem, dessa maneira, é mais fácil se prevenir e evitar prejuízos.

Existem despesas inseridas no momento do pagamento de um frete internacional tanto na condição collect e de um frete prepaid que devem ser consideradas antes de optar apenas pelo frete mais barato.

Quais são os principais custos do frete internacional?

custos frete internacional comércio exterior
Fonte: Pinterest

Geralmente, quando solicitamos uma cotação de frete aéreo ou marítimo a um agente de carga, ela vem descrita da seguinte maneira:

  • POL.: (Port of Loading) = Porto de Embarque na condição do Incoterms® FOB.POD.: Port of Discharge = Porto de Desembarque (destino).
  • Comm.: (Commodity) = Mercadoria. General cargo – no hazardous = Carga Geral – Não perigosa.
  • TT.: (Transit Time) = Tempo de Trânsito. Sendo 20 dias, com saídas semanais de navio.
  • Rate OFR.: (Rate of Ocean Freight) = Taxa do Frete Marítimo.
    wm = por peso (w) ou metragem cúbica (m3), o que for maior, com mínimo.
  • Transhipment charges.: Taxa de Transbordo, calculado por tonelada.
  • Docs.: Taxa de Documentação, taxa por B/L.
  • DDF.: Documentation Fee (Destination) – Taxa de Documentação – Destino – Para criação e processamento dos documentos de transporte.
  • Storage at CFS.: Armazenagem no Porto (Container Freight Station), calculado por peso ou metragem cúbica, por dia.
  • BL fee.: Taxa de liberação do B/L junto ao embarcador, taxa por B/L.
  • Desconsolidação.: Taxa de Desconsolidação (separa cada house (HBL) do Master (MBL) de acordo com o consignatário da carga, taxa por B/L.
  • CUC.: Chassis Using Charge – Uso de Chassi (uma espécie de trailer utilizado para transporte de contêiner sobre roda) para a Movimentação de Contêineres.
  • EMF.: Equipment Management Fee – Taxa de Gerenciamento de Equipamentos, para serviços extras que estejam relacionados a equipamentos, por exemplo: entrega de lacres de contêiner de alta segurança.
  • ISPS.: Fee for the Security in the Port – Taxa que visa pela segurança de navios e instalações portuárias.
  • BAS.: Base Rate = Frete Básico.
  • ODF.: Documentation Fee – Origin – Taxa de Documentação – Origem – Para criação e processamento de todos os documentos de transporte padrão.
  • OHC.: Handling Charge – Origin – Taxa de manuseio no Terminal/Porto de origem.
  • Capatazias por wm.: Capatazias = por peso ou metragem cúbica.
  • ALL IN.: é um termo utilizado pelos Agentes de Carga, para poupar os clientes de todo os cálculos acima, então, informam o frete total “ALL IN”, já com todas as taxas e sobretaxas inclusas.

Os pagamentos de frete junto ao agente de carga, armador, cia aérea/rodoviária/ferroviária/dutos, referente ao transporte de carga, podem ser feitos de três maneiras conforme os tópicos abaixo:

Frete pré-pago (Freight Prepaid)

Frete pré-pago (freight prepaid) – significa que o frete será pago imediatamente após o embarque, para retirada do B/L. Normalmente ele é pago no local ou país de embarque, porém, isto não é uma obrigatoriedade, podendo ser pago também no exterior (destino).

É comum associar-se o frete pré-pago ao Incoterms, naquelas condições onde o frete é por conta do vendedor. Deve-se notar, porém, que ele pode ser utilizado também com o frete por conta do comprador. Isto quer dizer que o frete pré-pago e os Incoterms são coisas distintas.

Os Incoterms® do Grupo C (CPT, CIP, CFR e CIF), e o do Grupo D (DAP, DPU e DDP), o frete internacional é por conta do exportador, denominado frete prepaid.

O que isso significa?

Ou seja, poderá o importador (comprador) optar por um destes Incoterms na negociação quando o frete do agente estrangeiro for mais em conta, uma vez que a responsabilidade da contratação e pagamento do frete é por conta do exportador (vendedor).

O valor da mercadoria e o frete devem ser destacados na Commercial Invoice (Fatura Comercial). O pagamento do frete internacional mais a mercadoria, geralmente, é efetuado via contrato de câmbio. É importante verificar as taxas de fechamento de câmbio para liquidação dos pagamentos do serviço (frete), como da aquisição da mercadoria.

Frete a pagar (Freight Collect)

Frete a pagar (freight collect), nesta situação o pagamento do frete poderá ocorrer em local diverso daquele de embarque ou destino. O frete internacional pode ser pago em qualquer parte do mundo, sendo que o armador será avisado pelo seu agente sobre o recebimento, de modo a proceder a liberação da mercadoria.

Não há obrigatoriedade da menção, no Conhecimento de Embarque, do valor do frete a ser pago. Ele poderá ser substituído pela cláusula Freight as Per Agreement (frete conforme acordo).

Os Incoterms® do Grupo E (EXW), e o do Grupo F (FCA, FAS e FOB), o frete internacional é por conta do importador, por isso denominado frete collect (a cobrar do importador “comprador”).

O que isso significa?

Ou seja, poderá o importador optar por um destes Incoterms na negociação quando o frete do agente de carga brasileiro for mais em conta, uma vez que a responsabilidade da contratação e pagamento do frete é por conta do importador.

É importante verificar se o agente de carga acrescenta alguma porcentagem em cima da taxa de conversão do dólar no momento do pagamento do frete, e caso afirmativo, vale tentar negociá-la.

O local de pagamento do frete, no entanto, deverá ser obrigatoriamente mencionado.

Utilize a tabela abaixo:

tabela custos frete internacional comex
Fonte: site Fazcomex

Frete pagável no destino (freight payable at destination)

Frete pagável no destino (freight payable at destination) – Esta condição significa que o frete internacional é pago pelo importador, na chegada ou retirada da mercadoria.

Podemos considerar que o frete será a pagar como dita a regra do (freight collect). Nesta situação o pagamento do frete poderá ocorrer em local diverso daquele de embarque ou destino.

Conclusão

O entendimento do fluxo logístico e todos os custos incorridos para realização de uma exportação seguida de importação, bem como as vantagens e desvantagens dos modais de transporte para frete internacional podem proporcionar aumento da competitividade da empresa diante de seus concorrentes.

A organização pode usufruir dos diversos modais de transporte para frete internacional para poder reduzir os preços de venda e aumentar a sua competitividade seja no mercado interno ou externo.

Agora você já conhece todas as dicas para realizar a sua estratégia de envios internacionais de forma segura e econômica.

Para obter assistência especializada e identificar a melhor solução para a sua empresa, entre em contato com a GETT. Não perca tempo:

demonstração grátis sistema comércio exterior

Artigo escrito por: Ana Maria Matta Walcher
https://www.linkedin.com/in/ana-maria-matta-walcher-bb772823/
https://www.instagram.com/mattawalcher/

Possui graduação em Administração de Empresas com Ênfase em Comercio Exterior pela Faculdade Anglo Latino (2004), pós-graduada em Gestão Empresarial, pelo Centro Universitário Carlos Drummond de Andrade (2008), MBA em Logística Internacional, pela UNIP (2011), Mestre em Administração de Empresas, pela UNIFACCAMP Centro Universitário Campo Limpo Paulista (2015) e MBA em Marketing, pela UNIP (2018).

Em 1998, iniciou no comércio exterior trabalhando na qual ficou por 16 anos e Assessoria Aduaneira na qual tive oportunidade de realizar desembaraço aduaneiro de exportação e importação, depois migrou para operações de Trading, Agenciamento de Carga marítima de exportação e Comercial de Operações de Comércio Exterior, totalizando 22 anos de carreira profissional neste ano de 2020.

Em 2008, iniciou na docência superior, lecionando disciplinas nas áreas de comércio exterior, logística, administração e marketing, em faculdades de São Paulo. Desde 2011 realizar treinamento corporativo.

Em 2010, iniciou hábito de escrever Artigos voltados para áreas de atuação profissional e acadêmica que proporcionou a atividade de Palestra para todos os públicos de qualquer tamanho em unidade. Em 2019 realizou lançamento do primeiro Livro: Tópicos de Logística pela Editora Clube do Autor.

Menu
whatsappwhatsapp